Alimentação e autismo: confira os principais desafios

O autismo é um distúrbio do desenvolvimento que afeta a comunicação, o comportamento e as habilidades sociais. Pessoas com autismo podem ter desafios adicionais quando se trata de nutrição e alimentação. Aqui estão algumas das principais dificuldades que as pessoas com autismo podem enfrentar na alimentação.

Seletividade alimentar

alimentação e autismo: desafios

A seletividade alimentar é uma característica comum do autismo. Muitas pessoas com autismo têm preferências alimentares muito limitadas e podem se recusar a comer alimentos que não estejam dentro de sua zona de conforto. Isso pode levar a uma dieta desequilibrada e insuficiente em nutrientes importantes.

Para ajudar a combater a seletividade alimentar, é importante oferecer uma ampla variedade de alimentos e texturas desde cedo. Além disso, é possível envolver a criança ou adulto com autismo na preparação dos alimentos e tornar a experiência da alimentação mais divertida e envolvente.

Sensibilidades alimentares

Muitas pessoas com autismo têm sensibilidades alimentares, o que significa que certos alimentos podem ser desagradáveis ​​ou até mesmo dolorosos de comer. Por exemplo, uma pessoa com autismo pode ter dificuldade em tolerar a textura de alimentos macios ou pastosos. Outros podem ser sensíveis a sabores fortes ou picantes.

Para ajudar a lidar com as sensibilidades alimentares, é importante descobrir quais alimentos são problemáticos e tentar encontrar alternativas que sejam mais palatáveis. Às vezes, é possível fazer pequenas mudanças, como cortar alimentos em pedaços menores ou misturá-los com outros ingredientes, para torná-los mais agradáveis ​​de comer.

Problemas gastrointestinais

As pessoas com autismo têm maior probabilidade de ter problemas gastrointestinais, como refluxo ácido, constipação e diarreia. Esses problemas podem ser agravados pela seletividade alimentar e pelas sensibilidades alimentares.

Para ajudar a aliviar os problemas gastrointestinais, é importante tentar manter uma dieta equilibrada e rica em fibras. Além disso, pode ser útil consultar um médico ou nutricionista para determinar se são necessárias mudanças específicas na dieta ou suplementos alimentares.

Comportamentos alimentares restritos

Algumas pessoas com autismo podem apresentar comportamentos alimentares restritos, como recusar-se a comer em determinados ambientes ou em horários específicos. Esses comportamentos podem ser um sinal de ansiedade ou estresse e podem levar a uma alimentação inadequada.

Para ajudar a lidar com os comportamentos alimentares restritos, é importante estabelecer rotinas regulares e tranquilas em torno das refeições. Além disso, pode ser útil oferecer escolhas limitadas de alimentos para ajudar a dar às pessoas com autismo um senso de controle sobre sua alimentação.

Dificuldade em lidar com mudanças na dieta

As pessoas com autismo podem ter dificuldade em lidar com mudanças na dieta, mesmo que sejam pequenas. Isso pode tornar difícil introduzir novos alimentos ou fazer ajustes na dieta quando necessário.

Para ajudar a lidar com as dificuldades, é recomendada uma abordagem gradual ao introduzir novos alimentos.

Também é importante oferecer à criança opções de alimentos que ela já gosta, mas com pequenas alterações, como adicionar temperos ou preparar de uma maneira diferente. Outra dica é envolver a criança no processo de escolha e preparação das refeições, o que pode ajudar a aumentar a aceitação dos novos alimentos.

Como você conferiu, existem diversos desafios relacionados a alimentação para quem está no espectro. Isso também acontece como o sono: clique aqui para ler.

Compartilhar este post

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário