Quando acumular pode se tornar uma doença: entenda o Transtorno de Acumulação

O transtorno de acumulação é um transtorno obsessivo-compulsivo que acomete muitas pessoas e é caracterizado principalmente pelo acúmulo exagerado de pertences.

Assim, apesar de não parecer tão prejudicial, traz diversos danos à saúde do paciente.

Por isso, é fundamental abordar o tema e trazer informações sobre o assunto para conscientizar sobre o transtorno de acumulação e auxiliar na identificação de sintomas.

Então, continue conosco e saiba tudo sobre o transtorno de acumulação.

O que é o Transtorno de Acumulação

Dificuldade de descartar ou se desfazer de pertences, sentir sofrimento para descartar objetos ou adquirir mais coisas que o necessário… Tudo isso pode ser caracterizado como transtorno de acumulação.

Mas, o que diferencia o transtorno do gosto por colecionar? Nas coleções não há necessariamente um acúmulo de objetos, e normalmente eles são organizados e catalogados.

No caso da acumulação, existe uma obsessão por acumular, e o fato de não poder acumular objetos causa sofrimento.

Principais sintomas

De acordo com o DSM-V, os principais sintomas são:

  • Sofrimento ao descartar um objeto;
  • Sentir que está perdendo algo quando descartar um objeto (mesmo que ele não esteja mais sendo usado);
  • Comprometimento de áreas por obstrução com objetos;
  • A acumulação torna o ambiente perigoso para o indivíduo;
  • Aquisição compulsiva (cerca de 80 a 90% dos indivíduos com o transtorno exibem esse sintoma);
  • O indivíduo não acredita ou percebe que a compulsão por acumular gera prejuízos;
  • A obstrução prejudica as atividades básicas, como transitar pela casa, cozinhar, limpar, fazer a higiene pessoal e até mesmo dormir;
  • Os aparelhos podem estar quebrados, e serviços como água e eletricidade podem estar desligados, já que o acesso para o trabalho de conserto pode ser difícil;
  • Sofrimento ao ser impedido de adquirir itens.

Os sintomas podem surgir na adolescência, e começam a gerar prejuízos aos 30 anos, tornando-se mais graves aos 50 anos.

Sendo assim, o transtorno é crônico e os sintomas aumentam durante a vida.

Tratamento

Por se tratar de um transtorno obsessivo-compulsivo, o tratamento envolve medicamentos e terapia.

Nesse caso, é necessário consultar um psiquiatra para realizar o diagnóstico correto e prescrever a medicação. Normalmente, os medicamentos utilizados para tratar a depressão também são muito eficientes no tratamento do TOC.

Além disso, a terapia é essencial para realizar exercícios que ajudam o paciente a compreender o transtorno e se desvencilhar do hábito de acumular.

Como você viu, o Transtorno de Acumulação é um transtorno que pode aparecer logo na infância e progredir até a vida adulta.

E, se não for tratado corretamente, traz diversos prejuízos à vida do paciente.

Então, ao perceber sintomas do Transtorno de Acumulação, busque a ajuda de um psiquiatra para obter um diagnóstico completo.

Quer saber mais sobre o assunto? Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro de tudo.

Compartilhar este post

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário